revista claudia outubro 2017

Revista Claudia

Matéria da Revista Claudia – Outubro de 2017

Escolha Consciente

revista claudia outubro 2017

revista claudia outubro 2017

revista claudia outubro 2017

Casa Claudia

Look de arrasar

Estes salões de beleza e barbearias não se preocupam apenas com o visual dos clientes. Também capricham no décor.

Matéria da Casa Claudia na edição de setembro de 2017

Por Marcella Centofanti

Corpo a Corpo

Mariana Rios entrega seus segredos de cuidados de beleza

Matéria da Corpo a Corpo na edição de 14 de setembro de 2017.

Por Ana Paula Ferreira

Matéria Circolare - Laces and Hair

Circolare

Laces and Hair recebe madrinhas e noiva para tratamento especial

Matéria Circolare - Laces and Hair

Matéria da Circolare na edição de 04 de setembro de 2017

Por Circolare

Revista Cosmopolitan

Faxina no couro cabeludo: o segredo pros fios a crescerem rápido

Fique atenta a essa receita

Matéria publicada na Revista Nova Cosmopolitan na edição de 22 de agosto de 2017

Por Vânia Goy

Não existe milagre que faça os fios de cabelo crescerem instantaneamente, mas dar um up dos cuidados com o couro cabeludo ajudam a manter os bulbos capilares saudáveis e, portanto, um bom ritmo de crescimento. Cris Dios, cabeleireira e cosmetóloga do Laces and Hair, de São Paulo, recomenda que você faça uma limpeza periódica e massagens para estimular a circulação e oxigenar o couro cabeludo.

A dica é especialmente recomendada para quem adora leave-ins, sprays e xampus secos, “que podem sobrecarregar o couro cabeludo e deixar resíduos”, explica. Ela ainda recomenda que você dilua o xampu em um pouco de água antes de aplicar na cabeça, assim ele fica mais fácil de espalhar.

Para uma faxina completa, experimente a seguinte receita:

. 10 ml de suco de limão

. 20 ml de chá de alecrim

. gotas de óleo essencial de melaleuca

. gotas de óleo essencial de alecrim

“Faça uma boa massagem no couro cabeludo e deixe a receita agir por 10 minutos antes de enxaguar”, diz Cris Dios. Repita quinzenalmente e lembre-se: como a mistura leva limão, não se exponha ao sol com ela e lave bem as mãos e o rosto depois de utilizá-la.

Slowbeauty

5 dicas para ter a pele e cabelos saudáveis no inverno

Matéria publicada no Slowbeauty no dia 03/07/17

Durante o inverno, é importante dobrar a atenção e cuidados com a pele e cabelos. Devido as baixas temperaturas da estação, é muito natural que as pessoas acabem adquirindo hábitos não muito saudáveis para se esquentar no frio. Por isso, listamos aqui 5 pontos importantes para ajudar no inverno a manter os cabelos e peles saudáveis.

  1. Evitar banhos quentes

Para evitar ressecamentos na pele e cabelos, tome banhos mornos e evite ficar muito tempo no chuveiro.

  1. Beba água para se hidratar

Água é amor. Beber água ajuda não apenas na saúde em geral como também deixa os cabelos saudáveis e pele hidratada.

  1. Hidrate a pele

Passe hidratante no corpo, além de evitar ressecamentos ajuda no envelhecimento precoce da pele. Dê preferência aos naturais e orgânicos, que não possuem componentes sintéticos.

Sugerimos: BB Cream Orgânicos Cris Dios para o rosto e Loção Hidratante Corporal Para Gestantes Orgânico Certificada Souvie para o corpo.

  1. Hidrate os cabelos

Use cremes que devolvam os nutrientes, vitaminas e aminoácidos aos cabelos. As temperaturas altas da água do banho retiram todas as vitaminas dos cabelos, deixando-os ressecados e sem vida. Dê prioridade aos produtos ricos em nutrientes que sejam naturais ou orgânicos.

Sugerimos: Creme Nutriente Mercedes Dios ou Máscara de Tratamento Cris Dios.

  1. Evite ar-condicionado

Além de desencadear problemas respiratórios como rinite e asmas o ar-condicionado resseca a pele e os cabelos.

Tenha um excelente inverno com cabelos e ­pele saudáveis! 😉

O Globo

Glamour Beauty Festival: profissionais explicam conceito de slow beauty e apontam tendências

Cosméticos orgânicos, vegano e cruelty-free entratam em debate

Matéria publicada no O Globo no dia 30/07/17

Por Luiza Barros

Nem tudo que é devagar é ruim: prova disso é o movimento “slow beauty”. Assim como o “slow fashion”, o segmento prega por práticas mais sustentáveis na indústria, ao longo de toda a cadeia produtiva. De olho em consumidores mais conscientes e preocupados com o meio ambiente, especialistas na indústria compartilharam suas experiências e expectativas para o futuro.

— O conceito de ‘slow beauty’ surgiu há uns três anos, vindo da Europa, mas ele veio de encontro ao que já acreditávamos. Agora temos buscado um alinhamento com o movimento, o que não deixa de ser uma forma das pessoas tomarem conhecimento do nosso trabalho — explicou Cris Dios, da Cris Dios Orgânicos, que se mostrou esperançosa em relação ao crescimento dos orgânicos no Brasil.

— O Brasil tem muito para crescer, apesar da crise. Diferente de outros lugares, temos uma biodiversidade supergrande para acessar. Na Europa, hoje 30% do mercado de cosméticos já é slow, enquanto aqui é 4% — destacou.

Fundadora da Simple Organic, Patricia Lima também explicou como esse crescimento pode acontecer sem que as marcas abandonem justamente o conceito de “slow”.

— O cuidado vai de acordo com o valor da empresa. Se a empresa tem os seus valores rígidos, ela cresce de maneira consciente. Não haverá uma explosão, até mesmo porque no mercado de beleza natural e orgânica é mais difícil, as marcas são obrigadas a respeitar a cadeia. Trabalha-se com matéria-prima diferenciada, com selos de certificação, que tem uma verificação bastante rigorosa. Não há como fugir dos parâmetros de exigência das certificadoras — observou a empresária, que ainda alertou para o chamado “greenwashing”, nome usado para o marketing que alardeia produtos como se eles fossem verdes, mesmo quando isso não é verdade.

— Ainda vejo muito greenwashing, que é a história do marketing verde que não é verdadeiro, muito mais um discurso de vender a sustentabilidade e a saúde, a beleza natural sem ser beleza natural. E estamos falando dos grandes players do mercado — afirmou Patricia. — Esse esforço que se vê acontecendo ainda não é tão verdadeiro como ele deve ser, mas ele vai se tornar verdadeiro: é um processo lento que a gente vê evoluindo, porque as próximas gerações vão exigir. A gente já vê uma mudança de comportamento nas gerações atuais, a Y, por exemplo, que busca muito mais essa informação, de saber de onde vem esse produto, agregar valor ao produto que realmente significa algo à sociedade ao planeta.

O Glamour Beauty Festival é uma realização das revistas “Glamour” e da Revista Ela, com apresentação do Sistema Fecomércio RJ, por meio do Senac.

Revista Glamour

Prepare-se: os cosméticos veganos e cruelty-free são o futuro da beleza

Confira os highlights da palestra “Slow Beauty”, que tomou conta do segundo dia de Glamour Beauty Festival

Matéria publicada na Glamour no dia 30/07/17

O terceiro talk deste domingo, 30, no Glamour Beauty Festival tratou de um assunto superatual: slow beauty. Em uma discussão sobre como os cosméticos orgânicos, cruelty-free e veganos se tornaram a forma mais cool de consumir beleza, recebemos a youtuber Maju Trindade, a tricologista Cris Dios, a esteticista holística Roseli Siqueira e Patricia Lima, fundadora da Simple Organic.

Representante da geração millenial, Maju conta que se tornou vegana há seis meses. “Comecei a pesquisar sobre a carne e vi como eu conseguia viver sem ela. Quando pesquisei sobre veganismo, mudei o meu mindset. A causa me comoveu muito”, conta a bela, que dis se inspirar em Yasmin Brunet.

Roseli lembra que o maior órgão do nosso corpo é a pele e, “quando usamos produtos naturais, eliminamos toxinas da pele. Sempre fui contra esfoliações que não eram naturais, por exemplo”. Ela explica que a química de certos cosméticos está matando diversos ecossistemas: a do filtro solar, por exemplo, mata milhares de corais. A saúde da usuária também fica comprometida.

Maju revela que deixou de usar produtos de várias marcas que gostava quando se tornou vegana. “É um processo complicado, mas, se eu defendo uma causa, preciso me dedicar a ela. E é maravilhoso porque você se cuida sem peso na consciência”.

Dona da Simple Organic, Patricia Lima fundou a marca pensando em sua filha de 4 anos – e como ela poderia mudar o mundo. “Quando você pensa a longo prazo, você pensa no meio ambiente e no veganismo. Muitas vezes estes produtos são vistos como ruins, que não duram… Mas é justamente o contrário”, afirma. Um dos maiores desafios das marcas veganas é a pouca variedade de fornecedores. “Não há tanta matéria prima certificada quanto gostaríamos”, diz Lima. “O fato é que produtos orgânicos têm saúde. Não só uma cor bonita, um status. Você está cuidando do seu corpo”, conclui Cris Dios.

Revista Claudia

Matéria publicada na Claudia no dia 11/07/17
Por Fernanda Morelli

Condicionador: como escolher o mais indicado para os seus fios
Dar mais importância à aplicação do produto é o primeiro passo para exibir um cabelo bonito e saudável

Em meio a promissores óleos, CC cream capilar, primer, leave-in, ampolas e máscaras de variados efeitos, o condicionador vem perdendo a devida atenção embaixo do chuveiro. No entanto, o produto, básico e disponível nas mais diversas faixas de preço, é determinante para o aspecto dos fios. “Sua função primordial é fechar as cutículas do cabelo que foram abertas pelo xampu. Assim, ele recupera a maciez e o brilho e diminui o frizz”, explica o cosmetólogo Maurício Pupo, de Campinas (SP). Justamente por isso, é também um excelente protetor contra as agressões externas. Mas, para que o milagre aconteça, é preciso usar a versão certa para o seu cabelo, que varia de acordo com os procedimentos químicos realizados e com o tipo dos fios. “A opção errada pode deixá-los pesados e com excesso de oleosidade ou simplesmente não provocar o resultado desejado”, alerta a cabeleireira Cris Dios, do salão Laces and Hair, em São Paulo. Veja como escolher o seu:

Cabelo oleoso

Virgem: “Quanto mais fluidos os condicionadores, menos gordurosos e mais adequados a esse tipo de fio”, diz Pupo. Os melhores ativos são os naturais, mais leves, como aloe vera, alecrim e macadâmia.

Com alisamento: Suas mechas precisam de aminoácidos e proteínas capazes de reparar as cutículas danificadas. Manteigas não gordurosas, como a de karité, ajudam a repor lipídios e ceramidas, dois hidratantes naturais.

Com luzes ou coloração: “Mesmo os fios oleosos ficam mais secos e porosos nessas condições”, diz Cris Dios. Devolva a hidratação com aqueles que têm silicone, óleo mineral e antioxidante. De quebra, protegem a cor.

Raiz oleosa e pontas secas

Virgem: Use, somente nas pontas, condicionadores que hidratam e controlam o frizz. Proteínas da seda, gérmen de trigo, óleo de amêndoa e macadâmia vão ajudar nessa missão.

Com alisamento: “As perdas de proteína e de lubrificação deixam as pontas ainda mais secas, pedindo ativos como aminoácidos e queratinas em alta concentração”, diz a dermatologista Maria Fernanda Gavazzoni.

Com luzes ou coloração: “Como os fios estão sensibilizados, prefira produtos à base de silicones, que protegem e condicionam melhor, evitando quebras”, diz Pupo. Outra forte aliada é a queratina, que atua especialmente nas pontas danificadas.

Cabelo seco

Virgem: Como seus fios não têm química, produtos com alto poder de hidratação já dão conta do recado. Vá de condicionadores com óleos como de amêndoa e argan embutidos na fórmula.

Com alisamento: Os ativos alisantes são muito agressivos – ainda mais para os fios secos. A palavra de ordem, portanto, é reconstrução. Para isso, aposte em proteínas, aminoácidos e manteigas hidratantes.

Com luzes ou coloração: Esses procedimentos atuam na parte mais profunda do fio. Adote condicionadores superconcentrados, capazes de reconstruir a massa capilar. Bons ativos: proteínas, manteigas e pantenol.

Revista Marie Claire

Tom sobre tom

Matéria publicada na Revista Marie Claire na edição de julho de 2017

Mais de 80% dos brasileiros pintam os fios e se preocupam em mantê-los HIDRATADOS e saudáveis. A seguir, um guia com o que há de mais bacana no universo da coloração.

Por Maria Clara Póvia